quinta-feira, 29 de julho de 2010

Ouço Deus me chamar - Ludmila Ferber

Alta madrugada vai, já estou deitado, mas
Ouço Deus me chamar
Sua voz suave é, como um sussurro
Ouço Deus me chamar
Meu coração se aperta, eu ando tão cansado
Tenho trabalhado tanto...
Meu coração se aperta ao ouvi-Lo me chamando
Me chamando, me chamando, me chamando, me chamando
Eu vou, já "tô" indo ao Teu encontro,
Senhor,Vou correndo ao Teu encontro

Nem que seja pra ficarmos em silêncio a sós,
Senhor, só nós!
Nem que seja simplesmente pelo prazer de ouvir Tua voz.
Não há como desprezar o
Teu chamado
Não há como rejeitar
Sua Presença




A letra já diz tudo, não sei como as pessoas ainda querem tentar resistir a Deus.
Vejá também o video! Garanto vela a pena.

terça-feira, 27 de julho de 2010

Por Amanda


Sou apenas uma estúpida enganação,

Por Amanda


Meu super herói é surdo? !

quinta-feira, 22 de julho de 2010

A menina que calou o mundo por 5 minutos.

Olá! Sou Severn Suzuki. Represento a ECO – a organização das crianças em defesa do meio ambiente. Somos um grupo de crianças canadenses, de 12 a 13 anos, tentando fazer a nossa parte: contribuir. Vanessa Suttie, Morgan Geisler, Michelle Quigg e eu. Todo o dinheiro que precisávamos conseguimos por nós mesmos. Viemos de tão longe para dizer que vocês, adultos, têm que mudar o seu modo de agir.Ao vir aqui hoje, não preciso disfarçar meu objetivo:estou lutando pelo meu futuro. Não ter garantia quanto ao meu futuro não é o mesmo que perder uma eleição ou alguns pontos na bolsa de valores.Estou aqui para falar em nome das gerações que estão por vir. Estou aqui para defender as crianças com fome, cujos apelos não são ouvidos.Estou aqui para falar em nome de incontáveis animais morrendo em todo o planeta porque já não têm mais lugar para onde ir.Não podemos mais permanecer ignorados. Hoje tenho medo de tomar sol por causa dos buracos na camada de ozônio; tenho medo de respirar esse ar porque não sei que substâncias químicas o estão contaminando. Eu costumava pescar em Vancouver com meu pai, até o dia em que pescamos um peixe com câncer.Temos conhecimento de que animais e plantas estão sendo destruídos a cada dia, e estão em vias de extinção.Durante toda a minha vida eu sonhei ver grandes manadas de animais selvagens, selvas, florestas tropicais repletas de pássaros e borboletas, mas agora eu me pergunto se meus filhos vão poder ver tudo isso.Vocês se preocupavam com essas coisas quando tinham a minha idade ?Todas essas coisas acontecem bem diante dos nossos olhos e, mesmo assim, continuamos agindo como se tivéssemos todo o tempo do mundo e todas as soluções.Sou apenas uma criança e não tenho as soluções, mas quero que saibam que vocês também não têm. Vocês não sabem como reparar os buracos da camada de ozônio. Vocês não sabem como salvar os salmões de águas poluídas. Vocês não podem ressuscitar os animais extintos. Vocês não podem recuperar as florestas que um dia existiram onde hoje é deserto. Se vocês não podem recuperar nada disso, então por favor parem de destruir!Aqui vocês são os representantes de seus governos, homens de negócios, administradores, jornalistas ou políticos. Mas na verdade são mães e pais, irmãos e irmãs, tias e tios, e todos também são filhos. Sou apenas uma criança, mas sei que todos nós pertencemos a uma sólida família de 5 bilhões de pessoas, e ao todo somos 30 milhões de espécies compartilhando o mesmo ar, a mesma água e o mesmo solo. Nenhum governo, nenhuma fronteira poderá mudar essa realidade.Sou apenas uma criança, mas sei que esse problema atinge a todos nós, e deveríamos agir como se fôssemos um único mundo, rumo a um único objetivo. Apesar da minha raiva, não estou cega; apesar do meu medo, não sinto medo de dizer ao mundo como me sinto. No meu país, geramos tanto desperdício, compramos e jogamos fora, compramos e jogamos fora, e os países do Norte não compartilham com os que precisam. Mesmo quando temos mais do que o suficiente, temos medo de perder nossas riquezas, medo de compartilhá-las.No Canadá temos uma vida privilegiada, com fartura de alimentos, água e moradia. Temos relógios, bicicletas, computadores e aparelhos de TV. Há dois dias aqui no Brasil ficamos chocados quando estivemos com crianças que moram nas ruas. Ouçam o que uma delas nos contou: “Eu gostaria de ser rica, e se fosse daria a todas as crianças de rua alimentos, roupas, remédios, moradia, amor e carinho.” Se uma criança de rua, que não tem nada, ainda deseja compartilhar, por que nós, que temos tudo, somos ainda tão mesquinhos?Não posso deixar de pensar que essas crianças têm a minha idade e que o lugar onde nascemos faz uma grande diferença. Eu poderia ser uma daquelas crianças que vivem nas favelas do Rio. Eu poderia ser uma criança faminta da Somália. Uma vítima da guerra do Oriente Médio. Ou uma mendiga da Índia.Sou apenas uma criança, mas ainda assim sei que se todo o dinheiro gasto nas guerras fosse utilizado para acabar com a pobreza, para achar soluções para os problemas ambientais, que lugar maravilhoso a Terra seria!Na escola, desde o Jardim da Infância, vocês nos ensinaram a sermos bem comportados. Vocês nos ensinaram a não brigar com os outros, resolver as coisas de forma adequada, respeitar os outros, arrumar nossas bagunças, não maltratar outras criaturas, dividir e não ser mesquinho. Então, por que vocês fazem justamente o que nos ensinaram a não fazer?Não esqueçam o motivo de estarem assistindo a estas conferências, e para quem vocês estão fazendo isso. Vejam-nos como seus próprios filhos. Vocês estão decidindo em que tipo de mundo nós iremos crescer. Os pais devem ser capazes de confortar seus filhos, dizendo-lhes: “Tudo ficará bem. Estamos fazendo o melhor que podemos”. Mas não acredito que possam nos dizer isso. Será que estamos na sua lista de prioridades ?Meu pai sempre diz: “Você é aquilo que faz, não aquilo que você diz”. Bem, o que vocês fazem, nos fazem chorar à noite. Vocês adultos nos dizem que vocês nos amam. Eu desafio vocês. Por favor, façam as suas ações refletirem as suas palavras. Obrigada.

Veja você também:

terça-feira, 20 de julho de 2010

Sorte e azar - Pato fu

" Tudo está
Fora de seu lugar
Já notei

O mundo não foi
Feito pra mim
Vivo só

Pra me arrepender
De eu não ser
Do tipo que diz
Sem querer
O que está fora

De seu lugar
Que você venha pra modificar
O que está fora

De seu lugar
Que você venha pra modificar
Que você venha pra modificar
Que você venha pra modificar
Sorte e azar

Vão me disputar
E eu não fui

Capaz de me mover
Daqui até ali "










Tudo que é sólido pode derreter!

Mesmo quando a boca cala - Vinicius Calderoni

" Foi você me olhar de lado e eu ao lado doido para confessar
Mesmo quando a boca cala o corpo quer falar
Esses gestos incompletos, olhos tão repletos de te desejar
O direito de ir e vir, o desejo de ficar
Tudo isso pra dizer que eu não sei dizer onde é que isso vai dar
Que eu não mando no querer, aliás, é o querer que quer me governar
Hoje eu vivo pra dizer, eu digo pra viver, você é meu lugar
Se o amor não nos quiser, então azar do amor, não soube nos amar... "




Vocês podem ouvir essas musicas aqui:

Óculos de grau - Érika Machado

" Vejo por trás da lente
O seu olho esbugalhado
Penso o que você sente
Vendo o mundo em quadrado
Que melhora a sua visão
Mas não serve pra minha
E no banho imagino você
Enxergando embaçado
Cada um vê com o olho que tem
Aquilo que pode e o que lhe convém
Cada um vê com o olho que tem
E se o olho não vê e o coração não sente
Janela da alma é crente "


¬¬

Banheira - Natália Mallo

" Tu que ja foste a rainha do Nilo
A imperatriz do nailon
A duquesa da beleza
A sufragista luz acessa
Na caverna iluminista
Tu que já posaste para capa de revista
E guerreaste ativista
Lider sindicalista
Que já te provaste ensaista
Contista, romancista
Roqueira, feiticeira
Tu que ja foste a primeira
A síntese de uma especie inteira
Que fazes agora
Nessa banheira?


Tu
Rainha do Nilo
Duquesa da beleza
Luz acessa
Caverna iluminista
Tu que já posaste para capa de revista
Lider sindicalista
Que já te provaste ensaista
Roqueira, feiticeira
Tu que ja foste a primeira,
A síntese de uma especie inteira
Que fazes agora?

Tu
Rainha do Nilo
Duquesa da beleza
Luz acessa
Caverna iluminista
Tu
Capa de revista
Lider sindicalista
Contista, romancista
Tu que ja foste a primeira,
E inteira
Agora
Banheira "



Quer mais?

As coisas - Érika Machado

" As coisas querem sorvete
Maçã, banana, limão
As coisas querem ser coisas Que na verdade não são
Algumas coisas eu compro
As outras penso que não
As coisas todas as coisas Exercem alguma função
Deve haver pra tudo isso
Alguma explicação:Janela, tela, tênis, vidro, olho e palavrão.
Deve haver pra tudo issoAlguma explicação:
Janela, tela, tênis, vidro, olho e palavrão.
Há coisas que são bem grandes
Mas cabem nesta canção Consigo por numa frase
Girafa, amor e avião
Algumas coisas eu vejo
outras finjo que não
As coisas todas as coisas
De volta agora no refrão
No nosso ponto de vista,as
Coisas vão melhorar. "





Tudo tem sua função!

Quinto andar - Tiê

" Quando eu olhei pra cima e não te vi, não sabia o que fazer,
fui contar praquele estranho que eu gostava de você.
Ai, ai, será que foi assim?
Que foi o tempo que tirou você de mim?
E ele num momento hesitou, mas depois não resistiu,
me contou que mil balões voando foi o que ele viu.
Pensei: não é possível que eu não tenha reparado.
Eu devo estar completamente avoada.
Dei quase 5 passos e parei, não podia andar pra trás, mas confesso
não cabia enxergar tantos sinais.
Alô, eu sei, se chega até aqui, tão no limite não dá mais pra desistir.
Amor, porque eu te chamo assim, se com certeza você nem lembra de mim. "




Musica Liinda, vale a pena Ouvir

sábado, 17 de julho de 2010

Minha vontade é você

Pois aonde quer que eu esteja, Tu também estás. Eu te levo, sim, te levo...
Aqui em meu pensamento, o meu maior desejo é tornar você a minha realidade.
Estou aqui a te esperar.
Posso sentir o teu andar, teu pensar, e até mesmo o teu respirar.
Posso sentir a saudade batendo em minha porta,
Já posso vê-la sentar em meu sofá, sem presa. Nesse dia nublado observamos o ponteiro do relógio girar, e o tempo calmamente passar.
A chuva cai, e ainda sim estou a te esperar.
Posso te imaginar, já posso te sentir.
O mais cruel da mente, é a imaginação. A criação de coisas, ou até momentos que se esperam. Projetados por nós mesmos, satisfazendo apenas o nosso prazer, e querer.
Posso ver que a realidade está longe disso. Mas consigo sentir que com você, minhas vontades seram verdades. Posso ver uma leve brisa a te trazer.
Que eu esteja certa.

Uma nova Mulher - Marina Colasanti

" Um diário é um amigo? Uma companhia? Também. Mas é sobretudo a duplicação da gente mesmo, espelho que não se apaga quando o rosto se retrai ou muda, álbum de retratos que conserva muito mais que um belo sorriso e a paisagem de fundo. Quieto, compreensivo, calmo, o diário está ali, aberto e limpo. Oferecendo seu espaço, no qual você vai desenhar a sua vida e ele apenas... receber. Ele não tem recriminações a fazer, ele não diz que a culpa é sua, ele não encosta dedos na ferida. Como uma cama, como um mar, ele recebe. Você escreve muito se a emoção é forte, vai e volta e repete e repisa o mesmo assunto. Ninguém conta seu tempo, ninguém conta suas páginas. Você pode escrever até a mão cansar, até a alma aliviar. Você pode escrever e escrever e escrever. Ele aceita. E quando não quiser escrever mais, é só fechar e guardar o diário que ele mais nada exigirá. Não me diga que não tem o que contar. Você é o centro do seu universo, nada é mais importante do que aquilo que lhe diz respeito. Isso é que faz o encanto do diário. Se fosse usado apenas para registrar a queda do governo ou a evolução dos projetos orbitais, seria desnecessário, porque para isso já existe a imprensa, os arquivos, os registros da memória nacional. O diário serve justamente para conservar o pequeno acidente humano e individual, sua discussão com um amigo, o namoro lancinante, a dúvida sobre a roupa para usar naquela festa... O diário serve para conservar você. "

Ah... Querido Diário!

Eu sei, mas não devia - Marina Colasanti

" Eu sei que a gente se acostuma. Mas não devia.


A gente se acostuma a morar em apartamentos de fundos e a não ter outra vista que não as janelas ao redor. E, porque não tem vista, logo se acostuma a não olhar para fora. E, porque não olha para fora, logo se acostuma a não abrir de todo as cortinas. E, porque não abre as cortinas, logo se acostuma a acender mais cedo a luz. E, à medida que se acostuma, esquece o sol, esquece o ar, esquece a amplidão.

A gente se acostuma a acordar de manhã sobressaltado porque está na hora. A tomar o café correndo porque está atrasado. A ler o jornal no ônibus porque não pode perder o tempo da viagem. A comer sanduíche porque não dá para almoçar. A sair do trabalho porque já é noite. A cochilar no ônibus porque está cansado. A deitar cedo e dormir pesado sem ter vivido o dia.

A gente se acostuma a abrir o jornal e a ler sobre a guerra. E, aceitando a guerra, aceita os mortos e que haja números para os mortos. E, aceitando os números, aceita não acreditar nas negociações de paz. E, não acreditando nas negociações de paz, aceita ler todo dia da guerra, dos números, da longa duração.

A gente se acostuma a esperar o dia inteiro e ouvir no telefone: hoje não posso ir. A sorrir para as pessoas sem receber um sorriso de volta. A ser ignorado quando precisava tanto ser visto.

A gente se acostuma a pagar por tudo o que deseja e o de que necessita. E a lutar para ganhar o dinheiro com que pagar. E a ganhar menos do que precisa. E a fazer fila para pagar. E a pagar mais do que as coisas valem. E a saber que cada vez pagar mais. E a procurar mais trabalho, para ganhar mais dinheiro, para ter com que pagar nas filas em que se cobra.

A gente se acostuma a andar na rua e ver cartazes. A abrir as revistas e ver anúncios. A ligar a televisão e assistir a comerciais. A ir ao cinema e engolir publicidade. A ser instigado, conduzido, desnorteado, lançado na infindável catarata dos produtos.

A gente se acostuma à poluição. Às salas fechadas de ar condicionado e cheiro de cigarro. À luz artificial de ligeiro tremor. Ao choque que os olhos levam na luz natural. Às bactérias da água potável. À contaminação da água do mar. À lenta morte dos rios. Se acostuma a não ouvir passarinho, a não ter galo de madrugada, a temer a hidrofobia dos cães, a não colher fruta no pé, a não ter sequer uma planta.

A gente se acostuma a coisas demais, para não sofrer. Em doses pequenas, tentando não perceber, vai afastando uma dor aqui, um ressentimento ali, uma revolta acolá. Se o cinema está cheio, a gente senta na primeira fila e torce um pouco o pescoço. Se a praia está contaminada, a gente molha só os pés e sua no resto do corpo. Se o trabalho está duro, a gente se consola pensando no fim de semana. E se no fim de semana não há muito o que fazer a gente vai dormir cedo e ainda fica satisfeito porque tem sempre sono atrasado.

A gente se acostuma para não se ralar na aspereza, para preservar a pele. Se acostuma para evitar feridas, sangramentos, para esquivar-se de faca e baioneta, para poupar o peito. A gente se acostuma para poupar a vida. Que aos poucos se gasta, e que, gasta de tanto acostumar, se perde de si mesma. "


Aqui um texto de reflexão, para vocês, Queridos leitores.

Espero que tenham gostado, Pois eu adorei!


( Assisti TV escola faz bem pra nossa cultura! )


domingo, 11 de julho de 2010

O que fiz eu, Senhor?

Pensando melhor, o que aproveitei da vida? Quantas coisas não joguei fora? Quantos momentos sem desfrutar se passaram, e nós nem percebemos... Momentos dados como presentes, e o que fizemos deles?

O tempo passa, e quando se vê a vida já se foi, porque mil anos são como um dia...
Queria eu Senhor poder entende-lo, e perceber cedo que os meus planos não se comparam aos teus...
Que sofrer contigo é bem melhor do que errar, e poder ver por quais caminhos Tu encaminhaste minha vida, poder perceber que estás sempre ao meu lado mesmo quando infiel digo - porque não me respondes mais Senhor?.
Quero eu te sentir, diariamente, poder te ver. Vinte e quatro horas contigo já não é bastante para me saciar. Para demonstrar o meu amor por Ti, pra fazer a Tua vontade.
Peço Senhor guia-me por Teu caminho, e ensina-me os Teus preceitos.

Houve um tempo;

em que eu não podia nem te ver , agora posso estar de frente a você que meu coração não sente mais nada. De cabeça erguida, eu saí da sua vida. Se não te fiz feliz, eu tentei.
Uma comunidade minha.

sábado, 10 de julho de 2010

A vida é difícil?

A vida é difícil para quem não luta, para quem não tem coragem, para quem não tem opinião, para quem não sabe o que quer, pra quem duvida de si mesmo, pra quem não acredita em sua própria capacidade e que acredita mais nas dos Outros...
A vida se torna monótona quando você não se dá a chance de viver, de arriscar.
A vida é difícil para aqueles que não tem o jeitinho brasileiro de se rebolar e resolver os seus problemas. Para aqueles que se limitam de tentar, e se proíbem que errar!


Apenas um pensamentozinho!

domingo, 4 de julho de 2010

As três árvores

"Havia, numa cidade, três pequenas árvores que sonhavam o que seriam depois de grandes.

A primeira, olhando as estrelas, disse:

- Eu quero ser o baú mais precioso do mundo, cheio de tesouros. Para tal, até me disponho a ser cortada.

A segunda olhou para o riacho e suspirou:

- Eu quero ser um grande navio para transportar reis e rainhas.

A terceira árvore olhou o vale e disse:

- Quero ficar aqui no alto da montanha e crescer tanto, mas tanto, que as pessoas, ao olharem para mim, levantem seus olhos e pensem em Deus.

Muitos anos se passaram e certo dia vieram três lenhadores e cortaram as três árvores, todas ansiosas em serem transformadas naquilo que sonhavam.

Mas lenhadores não costumam ouvir e nem entender sonhos... Que pena!

A primeira árvore acabou sendo transformada num coxo de animais, coberto de feno. A segunda virou um simples e pequeno barco de pesca, carregando pessoas e peixes todos os dias. E a terceira, mesmo sonhando em ficar no alto da montanha, acabou cortada em grossas vigas e colocada de lado num depósito.

E todas as três se perguntavam desiludidas e tristes: "- Para que isso?"

Mas, numa certa noite, cheia de luz e de estrelas, onde havia mil melodias no ar, uma jovem mulher colocou seu bebê recém nascido naquele coxo de animais. E, de repente, a primeira árvore percebeu que continha o maior tesouro do mundo.

A segunda árvore, anos mais tarde, acabou transportando um homem que acabou dormindo no barco, e, no meio de uma tempestade, quando o estavam quase afundando, o homem levantou e disse ao mar revolto: "Sossegai". Num relance, a segunda árvore entendeu que estava carregando o Rei dos Céus e da Terra.

Tempos mais tarde, numa sexta-feira, a terceira árvore espantou-se quando suas vigas foram unidas em forma de cruz e um homem foi pregado nela, pois fora condenado à morte, mesmo sendo inocente.

Logo, sentiu-se horrível e cruel. Mas no domingo, o mundo vibrou de alegria e a terceira árvore entendeu que nela havia sido pregado um homem para salvação da humanidade, e que as pessoas sempre se lembrariam de Deus e de Seu Filho Jesus Cristo ao olharem para ela.

Eis a moral da história: as árvores tinham sonhos, mas as suas realizações foram mil vezes melhores e mais sábias do que haviam imaginado."

Sorte de hoje




Para saber o que vem pela frente, fale com quem está voltando




(sábia frase ;)

sexta-feira, 2 de julho de 2010

Copa do Mundo

Que situação!
Perder o jogo do Brasil X Holanda foi tão triste...


Parei e fiquei pensando no sentimento de cada um dos brasileiros ou não, que estavam acompanhando o jogo, que saíram de suas casas para torcer, e até mesmo naqueles que estavam agradecendo a Deus pelas vitórias do time para não ter que ir trabalhar ou cumprir hora.

Pensei na explosão de variados sentimentos que deve ter passado no coração de cada brasileiro, nas lágrimas que no rosto de muitos rolaram, e o desejo, e a culpa que os jogadores que deve ter se apossado, o pensamento de que poderia ter revirado essa situação.
O que será que tinha na mente de cada um dos jogadores? pensando nos dias de vitória que deixaram para trás, e o sonho de ser hexa esse ano. Penso nas famílias deles...
E o mais bonito sentimento que fez lágrimas caírem do nosso goleiro Júlio César, cujo a ele devemos admiração, como aos seus companheiros de campo.

Portanto o que nos resta agora é arrumar as malas e voltar para nossa terra, Onde estavam a nossa maior torcida.


Agora só nos resta 1 Dunga, 11 sonecas e 190 milhões de zangados!



(Bem que avisaram que Mick Jagger dava azar, KKKKKK')