domingo, 5 de dezembro de 2010

O Vendedor de Passados - José Eduardo Agualusa V

" (...)
Algo, da mesma natureza poderosa das metamorfoses, vem operando no seu íntimo.
(...)
Podem argumentar que todos estamos em constante mutação. Sim, também eu não sou o mesmo de ontem. A única coisa que em mim não muda é o meu passado: A memória do meu passado humano. O passado costuma ser estável, está sempre lá, belo ou terrível, e lá ficará para sempre.
(Eu acreitava nisto antes de conhecer Félix Ventura.) "

Nenhum comentário: