terça-feira, 24 de maio de 2011

A paixão segundo G.H. - Clarice Lispector X

" De súbito, dessa vez com mal-estar real, deixei finalmente vir a mim a sensação que durante seis meses, por negligência e desinteresse, eu não me deixara ter: a do silencioso ódio daquela mulher. O que me surpreendia é que era uma espécie de ódio isento, o pior: o indiderente. Não um ódio que me individualizasse mas apenas a falta de misericórdia. Não, nem ao menos ódio. "

Nenhum comentário: